Uma juventude condenada à luta e ao sucesso

Casamos menos, emigramos mais, desesperamos nas [vastas] filas dos centros de emprego. A juventude já conheceu dias melhores, mas, ainda assim, merece ser hoje celebrada enquanto dádiva efémera e preciosa que é.

3586ffffedbd1a2d864178bd6f3035e0

Em 2012, 25.969 jovens (com idades compreendidas entre os 15 e os 29 anos) deixaram Portugal.

A emigração jovem, esse ilustre flagelo, que, afinal, pode ter sido um “mito urbano” – por desrespeito a quem se viu obrigado a partir – marcava, contudo, apenas o início de um longo processo de deterioração dessa faixa etária que é hoje, dia de 12 de Agosto, comemorada.

O Dia Internacional da Juventude, criado em 1999 por resolução da Assembleia Geral da ONU, sublinha a importância das populações mais jovens na promoção sustentável do sucesso das sociedades.

Hoje, tende, todavia, a esmorecer a participação política, o europeísmo e a certeza de que tão novos conseguimos mudar o que quer que seja.

O desemprego jovem, outro grave dilema que este grupo, actualmente, enfrenta, atingiu, em Abril deste ano, os flagrantes 35 por cento, ocupando Portugal o 4º lugar na lista dos países da OCDE, onde esta questão é mais preocupante.

Ameaçados pela conjuntura de crise, apressam-se os mais novos às metrópoles lusitanas, onde, rapidamente, se descobrem obrigados a procurar esses paraísos prometidos pelo mundo fora, causando, por conseguinte, um sério desequilíbrio nas contas do Estado Social e a triste desertificação de relevantes áreas interiores.

Marvão, no distrito de Portalegre, arrisca, porém, remar contra essa maré: quer fixar a sua juventude, oferecendo-lhe, a partir de hoje, em honra da comemoração do Dia Internacional em causa, o Cartão Jovem Municipal.

A educação, a cultura, a habitação, o desporto, a construção, a reabilitação e o licenciamento são as áreas em que os portadores deste cartão poderão usufruir de descontos.

Entre 500 a 600 jovens beneficiarão desta ferramenta, numa localidade onde a falta de trabalho e futuro tem fomentado a migração.

Vítor Frutuoso, presidente da autarquia, pretende, deste modo, combater o despovoamento e celebrar a vitalidade e as vantagens trazidas pela juventude.

A este sinal positivo, adiciona-se o novo recorde do número de candidaturas, na primeira fase, ao ensino superior. 48.306 estudantes concorreram às 55.000 vagas disponíveis: desde 2010, que o Concurso de Acesso ao Ensino Superior não contava com tantos participantes.

Por cá, nos Açores, a juventude continua a garantir pouco mais do que viagens inter-ilhas a menos de 40€ e [valiosos] programas de estágio e ocupação de tempos livres que procuram estimular o emprego na região.

Em Dezembro, discutir-se-á o papel dos jovens enquanto actores da mudança social, embora se tenha optado por festejar a ocasião actual com algumas actividades leves na Praia Vinha d’Areia, na Vila Franca do Campo.

Aos [verdadeiros ou eternos] jovens, a felicidade de contrariar as estatísticas e de seguir os passos dos muitos que começam, agora, a governar o planeta e os seus destinos.

Mais: The invention of teenagers por Ben Cosgrove, na Time

Dados estatísticos: Instituto Nacional de Estatística
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s